11 de dez de 2013

#OCUPAUFPEL - CAIU A MÁSCARA DO REITOR!


Os estudantes em luta da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) aglutinados no Movimento Estudantil Unificado ocupam a reitoria há dois dias em repúdio ao reitor Mauro Del Pino. A gestão desde o início de 2013 vem se chocando com os princípios defendidos na campanha: “Transparência, Democracia e Díálogo”. A ANEL se solidariza com a legítima luta dos estudantes da UFPel por defender eleições diretas e paritárias em todas as universidades federais para que tenhamos vez e voz nos rumos da educação.


Mauro Del Pino além de receber o Deputado Estadual Fernando Marroni (PT) na semana passada para tratar da moradia estudantil, sem a presença dos estudantes. Ameaça de demissão os pró-reitores Antonio Cruz, Fabiane Tejada, Rosane Brandão e Sergio Christino eleitos pelos estudantes e que seguem o plano de gestão, além da preparação de um golpe para aprovar a implantação da EBSERH sem plebiscito.


Em 2012, houve eleição pra reitoria da UFPel, e a chapa vencedora foi a Reconstrução, com um projeto de gestão construído horizontalmente por integrantes das 3 categorias que compunham o Movimento Reconstrução, e que queriam findar uma administração autoritária que já durava mais de 20 anos e que se manteve no comando da UFPel por meio de golpes em conselhos universitários. A Reconstrução foi eleita com 5.376 votos. Sendo que destes, 4.517 eram votos dos estudantes.


MOVIMENTO DAS CASAS ESTUDANTIS NA LINHA DE FRENTE

O DCE UFPel sob a gestão Viração (UJS) segue calado diante das atitudes do reitor e da mobilização estudantil, mais uma vez a luta passa por fora das entidades governistas. A articulação do movimento estudantil iniciou após a Casa dos Estudantes Universitários (CEU), integrante do Movimento das Casas Estudantis, deliberar pela ocupação da Reitoria a partir dessa segunda, com a seguinte pauta de reivindicações:

- Que se retome o programa de gestão eleito;
- Pela ausência de transparência, compromisso e diálogo, Fora Osório;
- Abertura imediata das contas da Pró-Reitoria de Planejamento e das Fundações;
- Manutenção de todos os cargos demissionários, a começar pelos pró-reitores que são cargos de confiança dos Estudantes que fizeram as indicações e dos Moradores da CEU UFPEL;
- Avaliação justa da gestão, que não seja por meio de pesquisas tendenciosas, mas sim pelo cumprimento dos compromissos firmados em campanha e ao assumirem os postos;
- Que o assessor do reitor, Alvaro Hypolito, se retire de toda e qualquer discussão com o Movimento Estudantil, em especial o MCE, visto o evidente desrespeito deste conosco ao se referir a categoria como "torcida" dos pró-reitores em questão; 
- Que JAMAIS se volte a discutir CEU sem a presença de residentes e de representantes da PRAE, inclusive junto ao MEC;
- Que sejam tornados PÚBLICOS todos os documentos sobre o Projeto da Nova CEU e documentos sobre o direcionamento de verbas para a construção de CEUs na região sul - que está sendo tocado na câmara pelos deputados da bancada sulista -, inclusive identificando aqueles que construíram os projetos, as universidades, reitores ou pró-reitores, deputados e partidos políticos envolvidos nisso.

Com informações da CEU UFPEL e da estudante Landa Ciccone que segue em greve de fome.